O fim do Flash

Foi-se o tempo em que o Flash dominava os anúncios, transições e até mesmo layouts completos de páginas web. Gigantes da tecnologia vêm desde 2015 descontinuando o suporte a esta tecnologia, sendo que o bloqueio total do Flash pelo navegador Chrome tornou visível para todos esta decisão. Mas afinal, porque aquele site antigo não está carregando mais?

O fato é que o Flash sempre apresentou problemas que acabaram se tornando inadmissíveis na web atual, que busca ser cada vez mais inclusiva e segura em todos os sentidos. Problemas como o longo tempo de carregamento das páginas web contendo Flash, o que acarreta também no aumento de consumo de bateria nos dispositivos, a alta vulnerabilidade do plugin e também a falta de suporte dele para smartphones tornam esta tomada de decisão compreensível.

A substituição do Flash pelo HTML5 vem sendo incentivada pela própria Adobe, atual dona do Flash, e por quase todas as grandes empresas relacionadas com a Internet, como Google, Mozilla e Facebook. Além disso, o HTML5 é um padrão aberto, tendência adotada por quase todas as áreas da tecnologia da informação.

A Adobe deve continuar dando suporte ao Flash durante um curto período de transição, principalmente devido ao número elevado de jogos de navegador, aplicações educacionais e serviços de streaming de vídeo que foram criados com esta tecnologia. No entanto, a tendência é que todos os navegadores de internet cessem este suporte até o final de 2017.

O Flash foi importantíssimo para a popularização do desenvolvimento de sites e jogos na web, mas a sua substituição é inevitável. Se o site da sua empresa recentemente parou de funcionar no Google Chrome, talvez esteja na hora de investir em um novo. Entre em contato conosco e veja do que a nova internet é capaz.